Você conhece sua equipe?

Independentemente da posição que você ocupa em sua equipe, é fundamental que conheça os membros dela. “Mas por que devo conhecer os membros da minha equipe?”. Para que possa utilizar a estratégia certa para cada pessoa, obtendo os melhores resultados.
Você pode conhecê-los melhor observando, enxergando e escutando-os mais. As necessidades e os desejos são individuais, ou seja, o que motiva uma pessoa poderá desmotivar outras. Existem colaboradores que necessitam serem mais cobrados, enquanto outros nem tanto. Comparo os membros de uma equipe com filhos; cada um requer uma estratégia certa para ser educado. Decisões corretas sobre pessoas exigem conhecimentos de individualidades e de como as habilidades de cada um podem ser reconhecidas e utilizadas da melhor maneira.
O ser humano deve ser visto e valorizado. Sem dúvida, algumas das maiores necessidades da natureza humana são sentir-se importante, ser reconhecido e ser valorizado. Infelizmente, ainda existem muitos discursos e poucas ações para valorizar pessoas. Sem a participação, o diálogo, o reconhecimento e o estímulo a elas, dificilmente se conseguirá obter uma melhoria significativa na qualidade de vida no trabalho e, consequentemente, um aumento significativo da produtividade. Estudos revelam que um bom relacionamento é mais importante para a retenção de pessoas talentosas do que as políticas amplas da empresa, tais como salários e regalias.
As pessoas também precisam saber o que é esperado delas. Mas como fazer isso corretamente? Oferecendo feedback, ou seja, dando retorno às pessoas sobre as ações e os comportamentos delas. O feedback é uma das técnicas mais poderosas de comunicação e uma ferramenta de crescimento e desenvolvimento humano, por meio dele é possível estabelecer um processo de compreensão e confiança em uma relação. Mas para dar um feedback de maneira acertada é preciso entender as pessoas e a maneira como elas reagem a esse retorno, e ser capaz de fazer uma “leitura” delas, o que não é uma habilidade inata, mas algo que precisamos aprender e desenvolver.
Por meio desse estímulo, encontramos pontos valiosos do outro, criamos uma abertura e construímos uma comunicação mais eficaz, tornando o diálogo mais agradável e leve, eliminando, assim, algumas das principais causas de conflitos, tanto no ambiente profissional quanto no pessoal. Infelizmente, poucos são habilidosos para dizer o que precisa ser dito sem constranger ou magoar o receptor.
Por exemplo, um líder que não conhece a sua equipe adota sempre as mesmas estratégias com todos os membros da equipe, sendo essa muitas vezes uma das principais causas de desmotivação, descontentamento e conflitos. Fazer pessoas trabalharem é fácil, qualquer feitor de escravos sabe como fazer. Porém, estimular a conhecerem-se, aprimorando o que possuem de melhor (pontos fortes) e desenvolvendo oportunidades de melhoria (pontos fracos), objetivando resultados coletivos, agregando valor a sua vida pessoal e profissional, ou seja, ajudando a desenvolver o que cada um possui de melhor, é só para os verdadeiros líderes.
As pessoas em uma equipe também devem ter consciência de que, além das palavras, existe um mundo infinito de nuances e prismas diferentes, os quais geram energias ou estímulos percebidos e recebidos pelo outro, por meio dos quais a comunicação se processa. Um olhar, um tom de voz um pouco diferente, um franzir de cenho, um levantar de sobrancelhas podem comunicar muito mais do que uma mensagem manifestada com palavras.
Agora é com você! Saber e não fazer é não saber.
Anderson Rocha é professor e palestrante nas áreas de liderança, motivação e oratória.
Postar um comentário