Sobrevivendo ao furacão do alto potencial

Veja o que todo trainee ou funcionário de alto potencial precisa saber para aproveitar ao máximo o desenvolvimento acelerado.


Parabéns, você acaba de entrar no programa de desenvolvimento acelerado de sua empresa. Ótimo, não? Agora que é oficialmente um funcionário de alto potencial (AP), possivelmente um trainee, você passará por uma série de avaliações que irão prepará-lo para ocupar uma posição da alta administração.
Mas antes de começar a planejar como sua vida será nos andares de cima, cuidado: o caminho mais rápido vem com armadilhas que podem atrapalhar uma carreira promissora; e as empresas podem rapidamente abandonar esses funcionários que se complicam. Então, seguem quatro armadilhas a serem evitadas:
O rótulo AP
Não espere muito louvor quando iniciar uma nova empreitada. Enquanto o RH e a diretoria lhe atribuem papéis que oferecem oportunidades de desenvolvimento; seu novo chefe imediato não estará preocupado com seu potencial e não terá muitos motivos para investir no seu desenvolvimento.
Ele/ela apenas estará interessado (a) na sua capacidade de entregar bons resultados ou não. Isto significa que a primeira coisa que você precisa desenvolver é a habilidade de descobrir o que seu novo chefe quer e como cultivar uma relação de trabalho produtiva. Quanto mais rápido fizer isso, maior a sua chance de ser bem-sucedido. Questões para perguntar a si mesmo:
Imagem: Thinkstock http:osuperdna.blogspot.com.br

- Em qual estágio da carreira seu chefe se encontra?
- Com que ele se importa?
- Como você pode ajudá-lo?
- Quais as pressões enfrentadas por ele?
- Seu chefe tem ressalvas quanto a você? Se sim, como amenizar isso?
- Qual o modo de trabalhar de seu chefe, e como melhor se adaptar ao seu estilo?
Você também trabalhará com novos subordinados. Eles sabem que você está lá temporariamente; então muitos irão simplesmente lhe ignorar e esperar você seguir seu caminho - é comum pensarem que APs acrescentam pouco e eles podem, na verdade, atrapalhar. Você terá de trabalhar bastante para estabelecer a boa vontade antes de tentar imprimir sua marcar na área.
Síndrome de merecimento
É fácil desenvolver um sentimento de direito ou mesmo de merecimento quando está sendo treinado para ser líder - principalmente se sua organização trata os funcionários promissores como estrelas. Aqueles que sofrem dessa síndrome tendem a se tornar tão cheios de si que não enxergam suas próprias limitações e ficam nervosos quando não recebem a promoção ou tarefa de que se sentem merecedores.
Efetivamente, isso significa que veem a liderança como uma oportunidade de aumentar seu próprio status e não como contribuição para o negócio e desenvolvimento de outras áreas. Essa atitude não lhe deixará mais querido. Então lembre-se: ser um funcionário de alto potencial ou trainee não lhe dá direito a nada. Na verdade, significa que você deve continuar a provar-se digno de receber responsabilidades.
Os riscos das etapas breves
Em muitas empresas, os funcionários de alto potencial passam por inúmeras áreas sem nunca permanecer tempo suficiente para vivenciar um ciclo de negócios por inteiro. Dessa maneira, não chegam a compreender os pormenores ou a visão geral e, pior ainda, não assimilam as consequências das decisões do setor. Assim, a experiência de aprendizagem pode não ser tão completa quanto o AP ou a empresa imagina.
Para neutralizar essas consequências negativas, algumas empresas oferecem aos APs análises sistemáticas pós-empreitada - porém, não é uma prática muito comum. Portanto, é responsabilidade do funcionário de alto potencial tomar a iniciativa: peça ajuda ao seu chefe para analisar as escolhas feitas e o proveito tirado disso. A vantagem de se fazer isso é que demonstrará compromisso com seu desenvolvimento pessoal e, mais importante, lhe dará uma perspectiva externa crítica de suas habilidades. É muito fácil se iludir com seus pontos fortes e fracos, mas se realmente deseja fazer parte da diretoria, é preciso ter uma visão clara de tudo que precisa fazer para se aperfeiçoar.
O 'sim' a mais
Quando você é um funcionário de alto potencial, não terá como negar ou negociar tarefas. No início, é ótimo - você estará operando dentro de uma estrutura corporativa, então a sua aceitação das tarefas lhe dará crédito.
Mas, com o tempo, quando fizer parte do corpo administrativo, haverá momentos em que o próximo passo a tomar será muito menos estruturado. Você encontrará diversos desafios fora de seu escopo (seja funcional, comercial ou geográfico), afinal, é você que está no comando agora - e o primeiro da fila quando houver problemas.
Não deixe que a empolgação de enfrentar um desafio afete sua percepção: a pior coisa a fazer é assumir uma 'missão impossível'. Em especial, não aceite metas específicas em ambientes voláteis, onde você não tem controle sobre os recursos necessários. Quando surgir uma oportunidade como essa, é preciso avaliar as características da situação:
- É um desafio de uma start-up, recuperação ou fortalecimento?
- Há muita incerteza na economia/mercado externo?
- projeto está fora do core business da empresa?
Se a resposta for 'sim' a quaisquer destas perguntas, você terá de negociar com seu chefe para poder contar com as pessoas, tempo, financiamento e outros recursos necessários para realizar um trabalho bem feito. Mas atenção: esta negociação terá de ser contínua para que você possa se adaptar à medida que as condições se tornam mais claras.
Receber a devida atenção e apoio não é fácil, mas é fundamental para seu desenvolvimento. Enquanto você sobe a escada da hierarquia, aprende a lidar com pessoas de alto calibre - que são difíceis, geniosas e que sabem como conseguir o que bem desejam. Tornar-se líder não se trata simplesmente de ter know-how comercial e capacidade técnica - é também ter a fome de brigar e lidar com sua jornada até o topo.
Preston Bottger - é professor de Leadership no IMD, onde leciona nos programas Executive Developlment e Orchestrating Winning Performance.
Jean-Louis Barsoux - é pesquisador no IMD. Seus interesses incluem a administração da liderança e mudança.
Postar um comentário