A lição do Deputado Tiririca

Tiririca é apontado pelos jornalistas, que cobrem as atividades do Congresso Nacional, como um dos 25 melhores Deputados Federais de 2012. Há quem torça o nariz, mas assiduidade e trabalho sério sempre fazem diferença nas empresas. E, pelo visto, no Congresso Nacional também.


Conheço o deputado Tiririca desde 1992, quando ele ainda "abria roda" na Avenida Beira Mar, em Fortaleza. E, depois do espetáculo de rua, corria o chapéu colorido, em busca de alguns trocados para reforçar o orçamento. Foi pelas mãos do meu amigo Zé Rosa, à época, meu produtor, que o então palhaço Tiririca se apresentou, pela primeira vez, em um programa de televisão. E eu o primeiro apresentador a entrevistá-lo e fazer escada para as suas divertidas e inocentes paródias. De lá pra cá, muita coisa mudou. O simples palhaço de rua virou celebridade e sua trajetória é de conhecimento do grande público.
Não votei e dificilmente votaria no deputado Tiririca. Em parte, porque meu domicílio eleitoral é o Ceará e o dele São Paulo. Depois, porque os critérios de avaliação que utilizo para escolher meus representantes são diametralmente opostos aos que – imagino - levaram os seus 1,3 milhão de eleitores a optarem pelo seu nome.
Mas não posso, nesse momento em que ele volta às manchetes, como um dos 25 melhores deputados federais (Prêmio Congresso em Foco 2012, com votação dos 186 jornalistas que cobrem o cotidiano do Congresso Nacional), me furtar e reconhecer que essa votação, além de premiar um trabalhador comprometido, sério, focado e dedicado é um tremendo chute na canela de muitos caciques diplomados, travestidos de deputados, que envergonham nosso Congresso e a nossa política.
Os jornalistas que cobrem o dia a dia do Congresso Nacional, em sua maioria, são profissionais preparados, bem informados, observadores e como se diz no popular "passados na casca do alho". São acostumados a ver e ouvir desculpas esfarrapadas para toda sorte de descompromisso. Isso pra ficar no campo da elegância. Então, quando cravam o nome de um parlamentar em uma votação, como essa do Congresso em Foco, eles sabem que isso vai ser usado pelo parlamentar para catapultar sua popularidade. Portanto, creio que não correriam o risco de colocar no Olimpo um deus de cera.
Tiririca compareceu a 100% das 171 sessões de votação na Câmara – além dele, apenas mais oito deputados também mereceram igual destaque. E ele tem sido assíduo, inclusive nas comissões onde sua presença não é obrigatória. O deputado esteve presente em 106 (88%) das 120 reuniões da Comissão de Educação e Cultura, da qual é titular e apresentou sete projetos de lei que beneficiam os artistas circenses. O de maior envergadura, que já vai tramitar na CCJ, envolve a criação de um programa de amparo social aos que exercem atividades circenses. De acordo com a proposta, essas pessoas poderão ser atendidas pelo SUS sem a exigência do endereço fixo. No total, o site do Deputado lista 31 atividades entre projetos de lei e outras proposições.
Há de se ressaltar que parte do sucesso do deputado Tiririca está no conjunto de assessores – quatro em São Paulo e sete em Brasília – que redigem, acompanham, cobram, lembram e cuidam da sua reputação, entre eles uma antenada e profissionalíssima assessora de imprensa. Mas, o respeito e admiração, que ele conquistou entre os jornalistas, residem na honradez com que sustenta o seu mandato. Não fez mais do que a sua obrigação, mas convenhamos, isso é coisa que a maioria dos seus pares nunca fez.

Postar um comentário