10 sinais de que a empresa em que você trabalha pode estar fechando

Por mais que a equipe não esteja inteirada sobre os assuntos comerciais da companhia, alguns sinais podem indicar que o barco está afundando

Infomoney
 
O clima está diferente e há rumores por toda parte. Reuniões são marcadas constantemente e, apesar disso, as decisões estão sendo cada vez mais adiadas. A insegurança toma conta dos profissionais da empresa. Porém, ninguém tem coragem de perguntar ao chefe se ela está sendo fechada ou vendida - e mesmo se perguntassem, provavelmente ele iria negar.
Em tempos de incertezas, muitos profissionais ficam em dúvida se devem ou não se preparar para um outro emprego. Por mais que estes empregados não estejam inteirados sobre os assuntos comerciais da empresa, há sinais de que ela pode estar sendo fechada ou vendida.

O Barco está afundando?

Publicados na Forbes, por Jeff Schmitt, confira os 10 sinais de que sua empresa pode estar sendo vendida:
1. Reforçando aparências: observe se há um reforço de relações públicas. Seus superiores irão encher os e-mails com termos como “a demanda do mercado”, “rápida expansão”, e “perfeitamente posicionado para...”. Você também não está mais recebendo aquelas terríveis advertências de “pontos críticos” que antes faziam questão de apontar. Na teoria, tudo parece bem para os líderes - ou querem aparentar essa situação.
Imagem: Thinkstock

2. Controle de custo: você está percebendo alguns cortes no orçamento? Salários atrasados, corte de bônus, pagamentos atrasados de fornecedores, equipamentos inativados por não mandarem para o conserto, entre outros, são alguns dos sinais que a empresa está passando por problemas financeiros.
3. Vendas pressionadas: o departamento de vendas é um ótimo medidor da “saúde” da empresa. Fique de olho se os superiores andam pressionando as vendas ou a redução de preços nos serviços solicitados. A revisão constante de contratos e informações sobre pagamento antecipado também são maus sinais.
4. Novos rostos: o escritório anda recebendo muitas visitas, mas ninguém da equipe sabe quem são. Eles não interagem com os colaboradores e normalmente fazem reuniões com os gestores - de portas fechadas. É claro que eles podem ser potenciais clientes, mas também podem ser os futuros donos da empresa.
5. Deixando o barco: profissionais estão mudando de emprego ou estão sendo despedidos. Este é outro sinal de alerta. Uma dica é procurar os ex-colegas no LinkedIn e ver para onde eles foram, como para uma empresa concorrente.
6. Fofocas: a expressão “onde há fumaça, há fogo” faz sentido em situações como esta. As pessoas deixam palavras no ar ou escrevem nas redes sociais frases enigmáticos. Você chega em algum lugar da empresa e seus superiores param de falar. Nenhum líder irá contar aos seus subordinados sobre as verdadeiras intenções da empresa.
7. Perguntas: de repende, seu chefe te pergunta como vai o seu trabalho e cobra os resultados. Começam a colocar novas políticas e querem ver trabalhos antigos. Eles podem estar verificando o seu trabalho para o possível comprador.
8. Fraco desempenho: a empresa vem perdendo metas, clientes e vendas. Reuniões e cobranças vão ficando cada vez mais raras e o trabalho está rendendo cada vez menos. Dê atenção a esses fatores.
9. Mantendo o padrão: apesar dos murmúrios e apreensão dos seus superiores, nada tem acontecido de diferente em suas atividades. Você está se sentindo à deriva, fazendo seu trabalho sem um retorno concreto. Não há planos, não há metas definidas ou iniciativas dos seus chefes.
10. Sinta o clima: todos estão forçando a boa aparência, principalmente seus líderes. Nada está acontecendo com sua equipe, mas tem algo no ar. É provável que algo esteja claro para eles, mas os empregados não podem saber de nada. Nessas horas, se os sinais estão gritando o tempo todo, o melhor a fazer é se preparar, atualizar o currículo e procurar novas oportunidades, com calma. Além disso, tudo o que você pode fazer nessas horas é esperar pelo melhor e pelo novo recomeço.
Postar um comentário