Filme cearense com legendas vira fenômeno de bilheteria


Cena do filme "Cine Holliúdi", de Halder Gomes
Cena do filme “Cine Holliúdi”, de Halder Gomes
Rodrigo Salem, na Folha de S.Paulo
A comédia “Cine Holliúdy”, do cearense Halder Gomes, tornou-se um fenômeno de bilheteria. E nem mesmo precisou estrear em São Paulo e Rio, os maiores circuitos de cinema do Brasil.
Segundo os números do Filme B, portal que analisa o mercado cinematográfico brasileiro, o filme atraiu cerca de 23 mil pessoas no fim de semana de estreia (em apenas dez salas do Ceará), alcançando a maior média de público do período no país: 2.293 espectadores por sala, contra 961 de “Os Smurfs 2″, campeão de renda geral e segundo lugar na média.
Os números se revelam ainda mais fantásticos se comparados aos do campeão de bilheteria do ano, “Homem de Ferro 3″, que teve uma média de público de 1.470 pessoas por sala em sua estreia, em abril. A média de “Cine Holliúdy” é similar à de “Tropa de Elite 2″ e “Os Vingadores”, dois megasucessos de bilheteria.
A comédia filmada por somente R$ 1 milhão foi lançada apenas no Ceará e em três dias foi responsável por 44% do público nos cinemas da capital do Estado, faturando R$ 268 mil.
A estratégia do lançamento foi proposta pela distribuidora Downtown ao diretor Halder Gomes. “O pessoal da Downtown viu o filme e gostou, mas propôs o desafio de testar primeiro no Ceará, porque é um produto novo, diferente”, conta o cineasta.
COM LEGENDAS
Ainda é cedo para medir o tamanho do sucesso do longa, falado em “cearensês” e legendado em português para facilitar o entendimento do público, mas os especialistas afirmam estar diante de uma produção fora da curva.
“O filme é um fenômeno, nunca vi algo parecido. Mas a extensão do sucesso ninguém sabe dizer. Os exibidores acham que ele pode chegar aos 500 mil espectadores”, afirma Paulo Sérgio Almeida, diretor do Filme B. “Ainda é preciso ver como ele será vendido no resto do país.”
Gomes diz que a comédia será lançada em 50 salas em outras cidades do Nordeste, em 30 de agosto, apesar de ainda não ter ideia de quando entra em circuito no Sudeste.
“Nossa expectativa era de fechar a carreira do filme com 100 mil ingressos vendidos em todo o Brasil, mas agora tudo isso mudou. Faremos isso apenas no Ceará. Semana que vem, teremos mais três salas no Estado e devemos chegar aos 45 mil pagantes. Se o resto do Nordeste acompanhar o sucesso, chegaremos a São Paulo em meados de setembro”, diz o diretor.
A estratégia de lançamento também teve uma ajudinha de um campeão de bilheteria. “A Downtown colou o trailer do nosso filme em ‘Minha Mãe É uma Peça’ e as pessoas riam de passar mal. Foi inteligente.”
Postar um comentário