Brasil se torna membro do conselho do Pisa, exame mundial de educação

Pisa avalia conhecimentos de leitura, matemática e ciências nos países.
Brasil é o 1º não-membro da OCDE a integrar o conselho diretor.
Publicado por G1
O Brasil assinou acordo para se tornar membro do conselho diretor do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa), um exame internacional aplicado a cada três anos pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). O anúncio foi feito pelo ministro da Educação, Aluízio Mercadante, durante coletiva de imprensa na tarde desta segunda, em Brasília.
“O Brasil, apesar dos avanços, tem que ter a consciência de que a educação continua sendo o maior desafio estrutural”, disse o ministro. “Temos muito trabalho pela frente para garantir qualidade na educação brasileira. Estamos arregaçando as mangas e continuaremos enfrentando esses desafios.”
De acordo com o secretário-geral da OCDE, Angel Gurría, que veio ao Brasil para a assinatura do acordo, o país é o primeiro país não membro da OCDE a participar do conselho diretor. Antes, o Brasil participava dos encontros do conselho apenas na condição de país observador.
“O Brasil estará no centro do processo de tomadas de decisão em um dos programas carro-chefe da OCDE”, afirmou Gurría. “Hoje, só podemos aguardar com otimismo não apenas que o Brasil avance ainda mais na busca de atingir os padrões do Pisa, mas que também participe ativamente no desenvolvimento do programa a mais longo prazo para ajudar outros países.”
Sobre o exame
O Pisa tem como objetivo avaliar o conhecimento de leitura, matemática e ciências de estudantes com 15 anos de idade que estejam matriculados em qualquer série a partir da 7ª série (8º ano) do ensino fundamental. Ele já foi realizado em mais de 70 países e é realizado a cada três anos.
No último levantamento, em 2009, o Distrito Federal 439 foi o estado que apresentou o melhor desempenho nas provas de ciências, matemática e leitura do Pisa, com média 439. A média brasileira foi 401. Os três estados com pior desempenho na média geral estão na Região Nordeste: Alagoas (354), Maranhão (355) e Rio Grande do Norte (371).
A cada edição, o Pisa dá ênfase a uma das áreas de conhecimento. Em 2000, por exemplo, o foco foi a leitura. Em 2003, matemática e resolução de problemas. Já em 2006, o Pisa deu ênfase à área de ciência e, em 2009, voltou a focar na leitura.
De acordo com a OCDE, a coleta de dados da edição de 2012 priorizou a matemática e incluiu uma avaliação de matemática e leitura opcional, feita pelo computador por cerca de 30 países. Os resultados da edição de 2012 do Pisa serão divulgados em dezembro deste ano, e a edição de 2015 já está sendo preparada desde setembro de 2012.
Postar um comentário