"Algumas palavras abrem feridas, outras fecham."

Um orador fala do poder das palavras e das afirmações positivas. Um participante levanta a mão e diz:
"Não é porque eu vou dizer felicidade, felicidade, felicidade! que irei sentir melhor e não é porque eu vou dizer desgraça, desgraça, desgraça! que irei me sentir pior: não são mais que palavras."
O orador responde:
"Cale-se, seu idiota, você é incapaz de compreender o que quer que seja!"
O participante está paralisado, ele muda de cor e prepara-se para replicar agressivamente: "Você, espécie de..."
O orador levanta a mão:
"Peço que me desculpe. Eu não quero magoar. Aceite as minhas sinceras desculpas."
O participante acalma-se. Os outros participantes murmuram e há agitação na sala. O orador intervém:
"Têm a resposta à questão que puseram: algumas palavras desencadeiam dentro de nós raiva e cólera. Outras acalmam. Compreendem melhor o poder das palavras?"
Muita sinceridade destrói bons relacionamentos, nem tudo o que se pensa deve ser dito.