A Idade Medieval



É certo que escrever sobre a História requer um espírito de curiosidade e muita pesquisa e analise das fontes disponíveis. A nossa compreensão da história está ligada à análise das fontes e a busca do historiador é sempre pela verdade.
Com o passar dos anos novas fontes vão surgindo, vão sendo descobertas ou consideradas e requer uma nova analise dessas fontes pelo historiador e este sempre com um olhar do seu tempo, busca a verdade com as novas informações. Logo a verdade no estudo da História deve ser um conceito relacional.
A Idade medieval vem sendo reconstruída constantemente, do desprezo ao fascínio, do período sem grandes transformações a um período de muitas transformações, inovações e invenções. A verdade sobre esse período vem sendo alterada, conforme conhecemos mais sobre a Idade Medieval e a relacionamos com o nosso tempo.

É preciso considerar que escrever várias vezes sobre o mesmo tema não significa escrever a mesma coisa, o enfoque pode ser totalmente diferente. A confrontação de diferentes perspectivas, não somente as novas fontes, mas as novas abordagens e essas abordagens podem ser fruto do período histórico em que vive cada historiador. Logo, a História nem sempre é só recontada, algumas vezes é acrescida de novas informações e diferentes visões e isso enriquece o conhecimento.

O ensino da Idade Medieval que já foi considerado árduo por muito professores, já sofreu muitas mudanças, não somente pela releitura dos livros e dos estudos de vários historiados sobre o período, como também pela influência da Idade Medieval na cultura pop digital do nosso século, criando uma nova geração já mais familiarizada com a Idade Medieval, mesmo que através de algumas fantasias e fábulas, como em dezenas de jogos de eletrônicos, muitos filmes como: Senhor dos anéis, O Hobbit, Harry Horter, filmes de animação, desenhos e varias séries televisivas americanas. Logo hoje está melhor para ensinar Idade Medieval nas escolas, pois existe nesse período histórico alguma familiaridade da audiência.
Lembremos também que o ensino de História quando relacionado com o presente gera mais interesse por parte dos alunos, ao trazer da Idade Medieval a origem de vários itens do nosso dia-a-dia, do nosso cotidiano despertamos no aluno mais interesse e até curiosidade em saber mais, transformando por completo a aprendizagem e criando alunos envolvidos no universo histórico, curiosos e em busca de mais informação e conhecimento. Dar exemplos práticos e palpáveis de objetos que tiveram suas origens, aperfeiçoamento ou sua criação na Idade Medieval, como a calça comprida, os óculos, o calendário, o relógio de parede, o livro, o botão, o espelho, janela de vidro, cinto com fivela, colher, garfo, cartório, papel, jogos de carta, jogos de xadrez, universidade e outros, é algo que ajuda a despertar o interesse dos alunos.
Criar no aluno a visão de que a história é uma grande teia com fios por todos os lados onde o passado e presente sempre se encontram e estão juntos na formação do futuro e da história da humanidade e que não existe história velha, a história é somente história, é o passado, dividido em período para facilitar a aprendizagem e compreensão, mas a história entrelaça o tempo.
A História que é o passado não pode ser mudada ou alterada, visto que já aconteceu, porém as perspectiva do historiador muda conforme o tempo, o período em que ele vive ou viveu e as informações e fontes disponíveis, logo historiadores de 1920,1980 e 2014 tem uma perspectiva da história e da Idade Medieval conforme a época em que vivem ou viveram e são influenciados pelo seu tempo, pelo seu presente no estudo do passado, dessa forma o passado muitas vezes é revisto com novas perspectivas e continuará assim. Podemos dizer que em história os mortos falam e as ruinas e areias escondem e cada tempo presente explica.
A Idade Medieval quando vista em perspectiva do Brasil é fascinante, ajuda na compreensão das nossas origens e da nossa formação cultural e étnica e a compreender que no processo inicial de colonização feita pelos Portugueses ainda com hábitos, costumes e cultura medieval influenciaram na formação do povo Brasileiro.
Compreender a origem da nossa língua, do nosso idioma é mergulhar nas histórias dos povos da península Ibérica na Idade Medieval, compreender como e o porquê os Portugueses aceitaram com tanta facilidade mestiçagem de raças no Brasil colônia é preciso conhecer antes na Idade Medieval as origens dos nossos colonizadores.
Nesse sentido podemos afirmar que nossas raízes são medievais também, nossa formação enquanto país é uma mistura de influências, a formação do nosso povo e da nossa cultura tem uma variedade única, somos um povo e um país mestiço.

Dessa forma ensinamos aos nossos alunos que a história é fascinante, é viva, é o passado que também influencia o presente, somos nós que a fazemos ou fazemos parte dela, é na história a explicação das origens de muitas das coisas que não valorizamos e sequer imaginamos como surgiu e qual efetivo problema resolveu.
O passado antes distante, muito longe pode estar bem perto e fazer parte do nosso dia-a-dia, da nossa rotina diária, da nossa vida. Até a próxima aula ou um novo livro explicar para nós outros temas, acontecimentos, fatos ou objetos e suas origens na história e novas influências para nossa vida.
Assim o historiador está fadado á um eterno recontar da história, a Idade Medieval ainda tem muito para nos ensinar e para nos revelar, dentro de novas abordagens. Portanto saber explorar todas as possibilidades de uma interpretação histórica dentro da visão, da perspectiva, do tempo e lugar que vive, alcançando a maturidade da consciência histórica dentro do seu tempo, independente da perspectiva que outros terão daqui a 50 anos, é ser um historiador.
Prof. Gilvandro.