10 dicas para ter uma vida financeira saudável em 2015

dividas-300x225


Publicado no Catraca Livre
Dezembro chega e as pessoas logo começam a fazer suas listas de resoluções para o próximo ano. Emagrecer, arrumar outro trabalho, ficar mais próximo das pessoas importantes, dormir mais cedo, sair mais… Tudo isso está entre os desejos de muita gente, mas talvez nada seja tão almejado pelas pessoas do que organizar a vida financeira.
Mas se todo ano você promete parar de acumular dívidas no cartão de crédito e gastar menos, mas nunca consegue, eis uma lista de dicas que podem te ajudar bastante.
Confira abaixo!
1. Tenha um fundo de emergência
A ideia é economizar o suficiente para o caso de você ficar de três a seis meses desempregado. Essa é a quantidade média de tempo que leva para conseguir um novo emprego. Ou se você constantemente acaba gastando em excesso por conta de imprevistos – como reparos do carro ou contas do veterinário – ter um fundo de reserva vai impedi-lo de entrar em dívidas.
2. Corte excessos
Faça uma lista de todos os seus gastos mensais e não deixe nada de fora. É muito raro que as pessoas não gastem com coisas desnecessárias ou você realmente precisa gastar pagando a mensalidade da academia que nem frequenta? Ou ter um plano de internet caríssimo se você nem para em casa? Repense suas prioridades.

 
3. Preste atenção em pequenos gastos
Quando somados, os gastos considerados banais – como aquele café da manhã diário na padaria da esquina – podem fazer um belo rombo no orçamento. Se ao invés de gastar todos os dias cerca de R$ 12,00 em um café com leite e um queijo quente, você der um pulinho no mercado e comprar os materiais necessários, a economia no final do mês será considerável.

4. Não gaste para amenizar frustrações
Seres humanos são emotivos e constantemente agem por impulso e há quem saque o cartão de crédito como uma forma de se auto presentear para amenizar frustrações rotineiras. Discutiu com o marido? “Vou comprar um sapato novo”. O trabalho está cansativo demais? “Boa hora para trocar o celular”. Se sentindo acima do peso? “Uma roupa nova com certeza me fará sentir melhor”. Gastar para se sentir bem te dará uma sensação de felicidade apenas temporária. Portanto, ao invés de entrar no vermelho, tente entender o que realmente você precisa. Com um pouquinho de reflexão é fácil perceber que não é nada material que vai mandar as frustrações para longe.
5. Não acumule coisas sem uso em casa; desapegue!
Roupas, móveis acessórios, objetos de decoração, aparelhos eletrônicos… Pense em tudo o que você tem casa e quanto dessas coisas você realmente utiliza. Facilmente você perceberá que existe uma infinidade de coisas que estão apenas acumulando poeira em algum canto. Mas e se você decidir juntar tudo e realizar uma venda de garagem (ou disponibilizar no Classificados Catraca Livre) para os amigos? Mesmo que você venda tudo por um precinho bem camarada, o que você conseguir ganhar será mais vantajoso do que ter um monte de coisas inúteis em casa.
6. Pesquise preços
Se antes pesquisar preços significava ter que peregrinar de loja em loja para encontrar o melhor preço, a internet facilitou e muito a vida dos consumidores. Portanto pense duas vezes antes de comprar alguma coisa de primeira. O ideal é vasculhar as lojas online que oferecem o produto que você deseja pelo menor preço. A economia vale a pena e pode fazer uma bela diferença no orçamento.
7. compre apenas o que precisa
Não pense que aproveitar as ofertas significa que você deve comprar o que não precisa só porque estão anunciando descontos de 50%. Consumir conscientemente é sempre a melhor maneira de economizar, portanto só compre o que você realmente precisa. Acredite, você não precisa de mais uma sapatilha no armário. Valorize seu dinheiro!
8. Estabeleça metas realistas
Quando começamos uma poupança, normalmente criamos metas enormes e que nem sempre podemos cumprir. Então, para que você não comece o ano a todo vapor tentando guardar R$ 1 mil por mês, mas em fevereiro perceba que é um passo maior do que a perna, vá devagar. Guarde o que conseguir, comece com R$ 50 ou R$ 100 mensais no mínimo e quando sobrar um pouco, aumente o valor. Assim, as chances de desanimar e parar de guardar diminuem.
9. Reduza o número de vezes que você sai para confraternizar com amigos em bares e restaurantes
Nada mais delicioso do que encontrar amigos em um restaurante para comer e beber enquanto o papo rola solto, mas faça as contas. Não é apenas com a comida que você gasta nestas ocasiões, tem os 10% do garçom, o estacionamento (ou taxi) e o combustível e assim uma simples refeição pode sair ainda mais caro do que o planejado. Se você tem o hábito de comer fora muitas vezes na semana, boa parte do seu salário será empatado nisso. Se ao invés de ir a um restaurante, você e seus amigos se organizarem para se encontrar na casa de uma pessoa da turma, a economia será evidente.
10. Aproveite dias de promoção no mercado para ir às compras
Redes de supermercado costumam escolher alguns dias da semana para fazer promoções que valem bastante a pena. Aproveite essas oportunidades também para levar produtos com prazo de validade maior como material de limpeza. Outra dica é a escolha do tipo de supermercado para efetuar a sua compra: atacado ou varejo. Atacado são os supermercados que vendem produtos em grande quantidade. Normalmente nesses locais há dois tipos de preços: o preço por atacado ou para quem compra em grande quantidade, como fardos ou embalagens fechadas e preço no varejo que é quando você compra um produto individual. Mas a maioria dos supermercados funciona no formato de fazer varejo, vendendo produtos de forma individual onde você poderá comprar com mais liberdade, mas geralmente com preços maiores. Antes de encher o carrinho, pesquise e não saia de casa sem uma lista. Pode parecer banal, mas o simples fato de anotar o que precisa ser comprado, evita gastos desnecessários.